Algures uma Poesia



De inesperado rodopia
para o meu lado
ruflando a sua saia inventada
transparente de intenção...


recobre-me os olhos
desnuda-me a imaginação...


num sopro traquinas
dá-me a senha:
- não me ponha cabrestos
sou transiente!


'- quando quiseres busca-me
na intemporalidade
na contradição
desassossega-te
se puderes ...'


Maria Lucia (Centelha Luminosa)



Comentários