Por aqui

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

VOO DA ALMA


Noite vazia de brilho
sombras na rua deserta acobertam ruídos
para que vibre o silêncio...



dedos longos como os anos
desatam da alma o laço e o nó
feitos do inverossímil...



livre, revira a noite de si mesma
enche a alma do lume das estrelas
se reinventa e sai pra rua pra dançar...



em seu corpo o vermelho candeeiro
alumia os passos febris
de sua dança - voo da alma...



dança... dança em frenesi
rodopia, e sorri
o cenário se desfaz, sai de cartaz...



a realidade e o sol
do amanhecer
vem depressa demais!


Maria Lucia (Centelha Luminosa)