GESTAÇÃO




Fosse eu,
um vinco na terra
fio d’água a serpentear
ao pé da serra me gestaria
de correnteza caudalosa
p'ra essa água levar...



...fosse eu
a inocência da manhã
ou chuva fina ao fim de tarde
faria amor
com o deus dos ventos
pra fecundar a tempestade
e me tornar Iansã...



de coisas assim a vida
vai suprindo os meus dias
amálgama o meu ser
água, brisa e paciência
por que o meu ventre
está prenhe de poesias
que demoram por nascer...



Maria Lucia (Centelha Luminosa)