Por aqui

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

É O POETA


Naquele olhar
a volúpia
poesia d’amor
em doação
às gentes...



faísca de vida
permanente
a incendiar o mundo
partículas de estrelas
brisas e fontes
sede de palavras
em todos os sentires
mergulho profundo...



artesão da emoção
do orgasmo, a vibração
ave fugidia
engolindo silêncios...



esteta da sutileza
em desassossego
impalpável
impossível retê-lo
seria o infinito?...


Não!


Minto.


É o poeta!


Maria Lucia (Centelha Luminosa)