Por aqui

sexta-feira, 17 de maio de 2013

SOPRO


Sopro

Quando foi
que tiveste um sopro vital
pela última vez?
No escaninho indevassável
de tua alma
a seiva que por ali corria
quase poesia
não era real?
Nada tinhas pra oferecer 
além da amargada ausência
daqui.
Hoje vens
é teu desejo
soprar volúpias
que o teu sentir
se compraz emnutrir!



Maria Lucia (Centelha Luminosa)