Por aqui

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Taí...






Taí!
Eu avisei (a mim mesma)
que  isso ia acontecer.
e aconteceu não sem
espantosa surpresa
o desabar em mim
da chama do teu olhar
pra me colocar inteira acesa!



Já conheço os meandros 
que nos levarão a uma história 
de amar
o toque suave dos teus dedos
 em minha nuca é sinal inequívoco
que me acalenta
o fatal ponto sob os meus cabelos
a confirmar presságios à flor da pele
em meus pêlos em arrepio
do teu hálito de menta...


Taí!
A tua lembrança agora é algema
prisioneira que estou no teu caminho
é inútil resistir ao apelo que me arrebata
ao teu fruto saboroso que me atrai
pra sugar o suco espesso que me “mata”
enquanto adoça a minha vida!


De onde estás, dá-me de ti, como oferenda
e terás de mim, o mel no nascedouro
que te dou de mim como um tesouro!

Maria Lucia (Centelha Luminosa)