Por aqui

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

SENTIMENTO MERETRIZ





Por vezes, deixo-me livre
pra ensaiar uma palavra libertina
fogo que me queima
arrepiada de adrenalina
que da minha letra verte...

Queria arregaçar uma poesia
impetuosa
de subversiva palavra inundada
até sentir o tesão incendiado
na língua molhada...

Por que me toca tanto
a palavra inflamada
aquela que arrebenta
as comportas da emoção?

Será que é porque
ela desliza erotizada
pelos meus desvãos?

Lubrificada de hormônio
pela vastidão do meu imaginário
desnudado me provoca vertigem
o verso que anelo

E dele me embriago 
em orgia trovadora
momento imortal mais belo
que é essa hora!

Em ondas sutis
movimento da vaga
protegido pelo fogo da Vesta
que nunca se apaga

Eis aí a tessitura 
desse verso que eu fiz
aviada em meu peito sem recato
do meu sentimento meretriz!


Maria Lucia (Centelha Luminosa)