Por aqui

domingo, 19 de agosto de 2012

RENASCER



Poema dedicado a todos aqueles que ao verem amados partirem
não desejam mais viver...


Noite sem estrelas
 que se demora longa e sombria
zune a ventania. Um adeus à porta... 
alguém vai embora.
partida que não se esquece
deserção. Alma em atropelos
olvido dos ideais mais belos
    frustração que ninguém conhece...


Renascendo para um novo dia
a luz se faz presente
cessa, por fim, a tempestade.
semeia-se em novas searas
germina outra semente
chuva e Sol. Milagre da fertilidade


Espera, ainda...
contempla a Aurora tão linda!
A poda que faz renascer o broto verde
p'ras flores da primavera é a mesma
restaura a vida até na cova mais escura
e além do que é capaz a estrela
brilha sempre mais e mais 
na noite mais escura!


Observa lá no pântano ameaçador
como é alvo e perfumado o lírio
de incorpórea cor!


Andorinhas em festa cortam os ares
Eis que chega o verão!
O fio d'água solitário que desce cantando
em meio a floresta íngreme e obscura
procede da fonte mais pura
embora carregue em seu curso a lama
 sonha em alcançar o seu destino:
- os rios e os mares!


Espera um pouco mais...
Depois das noites longas e frias
novo ciclo se inicia para o teu alvorecer
Deixa-te ficar agora nesses tristes dias
p'ra recuperar a tua vida 
renovada e sã!...


Pensa no parto que libera o brilho
da centelha oculta que é tu mesmo
para brilhar no amanhã
do teu glorioso renascer!


Simplesmente Lu...( Maria Lucia)