JARDIM SECRETO







Meu jardim secreto é o meu avesso.
Nele não há pedra de tropeço.
Jardim retido por dentro, 
no entanto, eu o sinto tão liberto...


É lugar pra descansar após a lida 
da fadiga de esperar
um amor pra minha vida.

De esquecer o dedo em riste 
de quem gosta de acusar
Lugar de poder mexer na terra
nos canteiros de saudades
colher lírios de lembranças 
em silêncio sem queixa, porque
o sol da esperança não me deixa...

É ali que a minha lágrima é ligeira 
por ser passageira
Onde a brisa cicia a minha imaginação
com alguma inspiração
quando surge adornada de alegria
nunca maculada porque vem em poesia. 


É jardim que transborda o que camufla
heras que cobrem de alento o meu chão
Perfumam o meu desencanto 
aromas de jasmim 
que fazem Primavera 
em meu tempo de inverno 
hortênsias transmutam mágoas em reconforto 
a muito asiladas em meu horto.

Mas é nas rosas antálgicas que vou buscar o remédio
pra dores da realidade

Nesse meu jardim secreto, por certo 
são as quedas d’águas do meu olhar
que me ensinam a extrair 
forças pra eu seguir sempre em frente
após as inevitáveis quedas minhas...

Nós temos a mesma face
anverso e reverso:
 - tanto semeamos, quanto florescemos no mesmo universo!

Maria Lucia (Centelha Luminosa)