O Inverno Voltou, Você, Não!!



Há um grito aqui dentro
no fundo desse silêncio:
- O Inverno voltou!...Você, não!



o sol que incide sobre os lilases
é o mesmo que faz adormecer
a velha gata siamesa no parapeito da janela 
apressado, o carteiro não parou à minha porta
mas sorriu ao me ver debruçada na espera...



a caixa de e-mails onde deposito a ilusão
tantas vezes aberta (e fechada) 
ignora o que é solidão, você também 
os matizes do tempo nas minhas carnes
dão sinais indeléveis dos seus calendários...



o escandaloso aroma da “Dama da Noite”
ainda infesta as calçadas de madrugadas vazias
a segredar-me que isento do amor
o sangue nas veias jaz sem vida.



são essas, apenas reminiscências vãs
de um tempo que se esvai pelos vãos dos dedos
longos como os anos...



ritual que me concedo em segredo
sorvendo aos poucos o elixir do esquecimento
p’ra desafiar a espera dos nadas
amarrados nos tudos
que vou costurando enquanto observo
o Inverno passar...


Maria Lucia (Centelha Luminosa)