O Leme da Minha Vida





O leme da minha vida
eu levo com a mão leve...

Na redoma não tateava o mundo
não tocava o abismo profundo
não me queimava no conflito
não havia sangrias na poesia
que eu lia
tinha a boca selada pro grito
não me derramava nos escritos
que da centelha vertia
não me chafurdava nos erros
pra conquistar os acertos
que a vida exigia de mim
não sabia que da ilusão que eu conheço
a frustração é o preço
feito morte que chega aos pouquinhos
pra cortar as extremidades
de certos caminhos...


Hoje!...Minha mão dá ao leme
O rumo da minha vida
que segue em direção inesperada
em descobertas impensadas
pra perceber que não é preciso dar certo
como eu esperava no começo...
posso alterar os meus planos
procurar a rota perdida
amputar o velho desejo
de eternizar o que já conheço
da minha alma bandida

Não sou dona do leme, mas o sou das emoções
que me apropriei com as próprias mãos!


Maria Lucia (Centelha Luminosa)