Por aqui

quinta-feira, 29 de março de 2012

RESISTÊNCIA ÀS MUDANÇAS

...ou mudança de paradigma!






Por hoje resolvi dar às letras poéticas algum descanso de mim somente para abordar algumas curiosidades a respeito da resistência às novidades, ou revelações que surgem de tempos em tempos, no campo das Ciências, que tem o poder de transformar, trazer novo paradigma, fazer progredir o mundo, e promover verdadeira revolução nas sociedades, inclusive em nosso modo de pensar e ...agir!

No campo das idéias, do pensamento, a resistência se faz maior. De uma maneira geral, os homens se acomodam a certos costumes ou regras, cristalizadas em seu jeito de pensar e agir. Muitos parecem defensores da modernidade, se declaram “cabeças abertas” às novas descobertas; aplaudem o progresso e as mudanças que surgem. No entanto, observando mais de perto esses indivíduos percebe-se que, na verdade, não incorporam de todo o novo que chega e permanecem com o mesmo modo de vida, céticos a tudo que desafia o estabelecido, e permanecem  com a mesma visão de mundo, das pessoas e de si mesmos, apegados aos seus sistemas  que representa para eles, a expressão máxima da verdade.

Certo que, cada qual tem uma verdade relativa de acordo com sua percepção, além disso, todos nós possuímos um “modelo” pessoal de aferição. Quando analisamos algo, principalmente algo novo, o fazemos através da ótica desse modelo. Você, que me lê agora, está fazendo o mesmo, nesse texto que lhe ofereço pra leitura. Por outro lado, podemos e devemos promover em nosso modelo de avaliação algumas reformulações, porque, afinal, tudo evolui e  progride de forma muito rápida, e pra não corrermos o risco de estacionarmos “desatualizados”...rss
 Assunto sério, não? Então, vamos relaxar e recordar algumas resistências às mudanças, em frases:

“A teoria dos germes de Louis Pasteur é uma ridícula ficção” – Pierre  Pochet, professor de Fisiologia em Toulose, 1872.


“È totalmente impossível que os nobres órgãos da fala humana sejam substituídos por um insensível e ignóbil metal” - Jean Boillaud, da Academia Francesa de Ciências, a respeito do fonógrafo, de Thomas Edison, 1878. - 
  
“Quando a exposição de Paris se encerrar, ninguém mais ouvirá falar em luz elétrica” (!!!)- Erasmus Wilson, da Universidade de Oxford, 1879. Thomas Alva Edison

O cinema será  encarado por algum tempo como uma curiosidade científica, mas não tem futuro comercial” – Auguste Lumière , 1895, a respeito do seu próprio invento.

“O Raio-X é uma mistificação” – Lord Kelvin, físico e presidente da British Royal Society  of Science, 1900.
 

"Recuso-me a acreditar que um submarino faça outra coisa além de afundar no mar e asfixiar sua população" - H.G.Wells, escritor inglês, 1902
 

“O avião é um invento interessante, mas não vejo nele qualquer utilidade militar” – Marechal Ferdinand Foch, titular de estratégia na Escola Superior de Guerra da França, 1911.


“Até Julho sai da moda” – Revista Variety, a propósito do Rock and roll, Março de 1956


“O cinema sonoro é uma novidade que durará uma temporada” – Revista American Cinematographer ,1900.


"A Televisão não vem pra ficar. As pessoas terão de ficar olhando a sua  tela, e a família americana média não tem tempo para isso” – The New York Times 18 de Abril 1939- na apresentação do protótipo de um aparelho de televisão. Vladimir Zworykin, físico


Henri Ford, também duvidou que os carros de sua própria montadora  atingissem velocidade superior a 60 quilômetros  por hora.

Em 1977 , o fundador da Digital, Ken Olsen disse: “Não há motivo pra alguém ter um computador em casa .

“Acredito que o mercado mundial não comporta mais do cinco computadores” , Thomas J.Watson, presidente da IBM, 1943.


Aos Beatles em 1962, do executivo da gravadora Decca, porque não investiriam no Conjunto: “Não gostamos dos sons de vocês, conjuntos de guitarristas, não tem futuro”





Alkínder de Oliveira, fundador e professor da Escola de Líderes, de Oratória e Vendas, especialista treinamentos e consultorias empresariais, em suas tão concorridas palestras, diz  que “ ...criar novos paradigmas é recomeçar do "zero". Um novo paradigma, para quem o abraça com entusiasmo, é uma nova porta que se escancara à frente. 

Muita coisa que era impossível no passado hoje é totalmente possível e trivial. Isso nos leva a concluir que o impossível hoje poderá tornar-se padrão no futuro.

E,  Jason Camargo em sua obra “Educação dos Sentimentos”, nos diz que o progresso foi sempre realizado pela ousadia daqueles que acreditaram que era possível fazer. Encheram-se de coragem e caminharam na direção ao futuro. Os temerosos agarram-se aos paradigmas conhecidos, evitando o novo e, com isso retardam o seu próprio crescimento.

 Finalizo este artigo com uma reflexão:

Será que nos tempos atuais, há lugar para resistir ou rejeitar  ao novo que nos chega, em forma de convite,  para análises mais profundas a respeito do Ser, da Vida, e do Mundo?

 Maria Lucia ( Centelha Luminosa)

Fontes consultadas:

Alkíder de  Oliveira - "O Espírita do Século XXI"
Jason de Oliveira - "Educação dos Sentimentos" - 2ª edição - 2011