DECLARAÇÃO



Invento o amor
crio um poema
você teorema...

A minha intenção
é deixa-lo saber
da minha paixão...

São tantos rascunhos
de textos guardados
pois, nas entrelinhas
eu lhe assinalei...

Eu sei que você 
não percebeu
o amor aglutinando 
o sol e a lua
Por isso 
eu preciso lhe falar
que pensar em você 
desperta-me o desejo 
absurdo de lhe amar...

Ainda hei de me despir
de todo pudor
pra me vadiar de coragem
e lhe declarar 
o meu amor...

Assim, lhe direi num instante
que entre o ontem e o amanhã
dar-te-ei o agora 
de beijos constantes!


Maria Lucia ( Centelha Luminosa) 


Comentários

  1. Linda e tão bem inspirada e feita ,declaração!!beijos,lindo fds,chica

    ResponderExcluir
  2. Ola querida muito lindo este poema , mexeu comigo, amei e já compartilhei beijosss

    ResponderExcluir

  3. OiLu
    Não sei se o meu comentário foi, então vou comentar novamente. Adorei o poema. Quanta inspiração! Você é simplesmente maravilhosa! É uma Centelha Luminosa mesmo.
    Bjão. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  4. Lulu, lindona!
    Tudo bem?
    Muito lindo! Fiquei aqui pensando em sentimentos guardados, sentidos em sua plenitude, mas em silêncio. Ao passo que o personagem objeto do amor da narradora, entendo ser nas entrelinhas, talvez alguém mais racional, me veio isso na palavra 'teorema', enfim, alguém que mede as coisas, ou mesmo julga, impedindo uma maior expressão da voz feminina.

    Beijos, queridona, e ótimos dias!

    Ah! Adorei teu comentário por lá! :) Sempre aguardados, pois me divirto com teu humor e inteligência!

    ResponderExcluir
  5. Olá!Bom dia!
    Tudo bem por aqui?
    Maria Lucia Centelha!
    sabe..a palavra teorema me deixou inquieto quanto ao meu comentário! Usamos muito o termo "teorema" para apenas certas afirmações que podem ser provadas e que torna a definição um tanto quanto subjetiva... que são tantas à falar...eu penso que muito tempo está perdendo para falar...para que
    emudecer ou
    fazer de conta que esqueceu... ou isso
    faz parte?...conseguirá sobreviver só se declarando...ou assumir esse AMOR sem medo..e a música da Marisa terminou e as dúvidas, não. Há momento para tudo, a moeda existe, e tem.. dois lados...
    Obrigado!
    Boa sexta feira!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu!

    Tudo bem?

    Lindo poema, apaixonado, quente. São momentos destes que nos levam ao Paraíso...

    Um beijinho,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Tão triste nasceu hoje o Verão
    Tão agreste sopra este colérico vento
    Tão molhada está esta verde terra
    Tão cinza está um coração em desalento

    Mentem os que disserem que perdi a Lua
    Os que profetizaram o meu futuro de luz
    Mentem os que acharam que não me visto de sentimento
    Os que acham que apenas a mentira seduz

    Acolhi no olhar todas as coléricas vagas que alcancei
    Abracei uma roseira e senti o golpe dos espinhos
    Senti o aroma errante das hortênsias
    Numa viagem por sete caminhos

    Bom fim de semana

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi, olha eu por aqui de novo, convido eu vim rs. Gosto muito de poesias, sou fascinado por essa arte que transforma nossos mais profundos sentimentos e desejos em obra prima, a poesia tem poder de materializar o que sentimos por dentro. Curti muito seu poema, intenso, singelo e verdadeiro parabéns.

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Oi Lu...
    Sempre bom te ler..
    Essas paixões nas entrelinhas..
    sempre uma emoção...

    Um beijo..obrigada pelo carinho se sempre!!

    ResponderExcluir
  10. Oii amiga, lembrei de uma antiga paixão de adolescência que um dia me disse que não podia me oferecer o amanhã, só o agora afffff foi sofrido rsrsr Adorei! Bjoooss

    ResponderExcluir
  11. Respondendo aos questionamentos do meu querido Felisberto Junior:

    No verso :
    "Invento o amor
    crio um poema
    você teorema..." - eu quis dizer exatamente o que a palavra "teorema" significa:
    teorema
    s. m.: Proposição que deve ser demonstrada para se tornar evidente. OU seja, Se eu inventei o amor, se criei o poema, a quem me dirijo no poema, precisa SER DEMONSTRADO PRA SE TORNAR EVIDENTE...porque em todo o poema que se segue, o destinatário do poema, é uma incógnita, pois não revelei quem ele é, nem um nome declinei...apesar de, se ele saber "ver", se descobrirá nas entrelinhas... kkkkkkkkk

    A outra pergunta:
    ".conseguirá sobreviver só se declarando...ou assumir esse AMOR sem medo?

    Estou pesquisando ainda, meu querido Felis, de repente, melhor é o amor platônico, que levar um fora....hehehhe!

    Adorei teus questionamentos, porque isso significa que vc está ligado, antenado, focado!

    Te amo!

    Bjossss

    ResponderExcluir
  12. Nem sei o que dizer, seus poemas mexem com o coração e com os instintos. Quero fazer versos assim para alguém. Alguém que provoque minha inspiração e meu sentimento, e não a minha ira, ou minha tristeza, alguém que fique perto, que me leia, e que me sinta no que lê de mim.

    Você é ótima poeta romântica! Parabéns, Lu.

    um beijo.

    ResponderExcluir

  13. Olá querida Maria Lúcia,

    Você é incrível em seu poetar.
    Adorei o "pra me vadiar de coragem e lhe declarar o meu amor...".

    É mesmo preciso coragem para declarar um amor quando não se imagina as possibilidades desse amor ser aceito, partilhado ou rechaçado. Mas se nada há a perder, por que não?

    Ótimo final de semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Oii, seu blog é lindo, estou amando e também te seguindo !!! Quando puder da uma olhadinha no meu: http://cadeadani.blogspot.com.br/

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lu!
    Um amor secreto, escondido em poemas...Muito lindo!
    Quando ele se revelar nas entrelinhas, com certeza será retribuído!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Lu,

    Tudo bem? Fiquei pensando como é bom ouvir uma declaração, mas como ela pode ganhar espaço de maestria na relação. Sempre me declarei nas minhas relações, mas hoje tenho evitado sublinhar, esse sentimento quando ele é uma incógnita. Não porque questiono as declarações, mas porque sei o quanto ela pode afugentar, desacomodar, como você fala.

    Enfim, ando um tanto racional e segura nas declarações. Vou refletir mais em seus versos.

    Lindo final de semana e que amanhã, você um trenzão se declare para você.

    Beijos lindinha da vida.
    Lu

    ResponderExcluir
  17. Então não perca tempo! =D
    Bjuuus Maria! =]

    ResponderExcluir
  18. Gosto de ler nas "entrelinhas " dos seus poemas:)!
    Bjo

    ResponderExcluir
  19. Bela declaração. Versos doces e incríveis.

    ResponderExcluir
  20. Minha querida LUminosa, vou confessar que nem sei muito o que dizer aqui...

    Intensidade no nível máximo, heim!??!?!

    DEclarar-se com esse amor todo, por meio de uma poesia, é pra encher o coração de afeto mesmo... e isso pq nem vou comentar sobre toda a paixão contida no texto! Lindo!!!

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  21. Oi Lu,

    Tudo o que você escreve, tem uma marca:PRESTÍGIO.
    Nesse poema vejo você um pouco "acanhada", e você não é assim, nem na vida nem na poesia.
    Ouvir ou gostar de ouvir a tal Declaração de Amor, não é coisa que se compre, como sabe.

    TUDO O QUE É VOLUNTÁRIO E ESPONTÂNEO, SOA BEM.

    É esse som, que você quer ouvir, apenas. Depois, entre o ontem e o amanhã, existirá o AGORA, e então sim, você se abrirá para a vida, para o amor, como uma flor.

    Boa semana.
    Beijos da Luz.

    PS: Há atualização no "AFETOS". Não deive de escutar e ver o vídeo, sobretudo o primeiro, tá?


    ResponderExcluir
  22. Paixão platônica... Quem nunca?
    O foda disso tudo é que se você não declara, o tempo passa, a vida segue, tanto a sua quando a da outra pessoa, novas pessoas surgem e ficamos a imaginar como poderia ter sido se tivéssemos falado, o que teríamos vivido. Isto é bem adolescente, primeira vez que vejo um poema assim, acho...

    ResponderExcluir
  23. Olá, Maria Lúcia.
    O ruim do amor platônico é que a pessoa sofre sem motivo já que, se declarasse seu amor, para ria de sofrer, com ou sem a aceitação da pessoa amada.
    Belíssimo poema, como de hábito.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua presença e comentários
são PRECIOSOS pra mim!
Obrigada!

BJossss