Algumas Considerações sobre o Amor

(As imagens dessa postagem foram retiradas do Google)

Não pretendo explicar o sentimento de amor em sua essência, pois como fenômeno essencialmente humano, explica-lo seria reduzi-lo a elementos desarticulados muito diferentes de sua realidade vivencial, mas apenas tecer algumas considerações sobre ele.

Os dicionários definem os sentimentos como um conjunto de qualidades morais do indivíduo. Um dos sentimentos mais avaliados e discutidos pelos filósofos e religiosos de todos os tempos é o amor. Declamado e versado por poetas e músicos desde sempre, vivenciado pela humanidade, desde o mais rudimentar “gostar” ao intenso e inebriante “amar”, o Amor encontra-se, no ser humano,  empobrecido ainda, em seu real significado devido à intensa gama de sentimentos que permeia o universo do homem, e se estende em uma ampla faixa que vai do amor ao ódio, sendo este, a quebra da unidade que gera a desarmonia, desfaz laços afetivos, afeta nações e fomenta as intermináveis guerras nos seios dos povos.

Longe de ser estático, o amor se apresenta como um processo contínuo e dinâmico, e se manifesta de múltiplas formas:

Amor – sexo
Amor – cooperação
Amor – perdão
Amor – renúncia
Amor – aceitação
Amor – confiança
Amor – amizade, etc...

Deduz-se que as maiores transformações da vida humana e conseqüentemente das sociedades, se realizaram e se realizam através do amor, e a consciência que temos dele vai se desenvolvendo no tempo e se expandindo na medida em que o homem se projeta em um relacionamento harmonioso e pacifico no coração do outro.

Ao escrever sobre o amor, obrigatoriamente busco a quem direciono esse texto: o próximo!

Mas quem é o próximo?

O EU seria o próximo mais próximo. Não se podendo dar o que não se tem, não havendo amor a si mesmo, não se pode amar o outro produtivamente.
Nascemos dentro de um sistema constituído por paradigmas envelhecidos, carecendo de mudanças urgentes que impulsione o Ser ao legítimo sentimento do amor. O homem cresce muito intelectualmente, tecnologicamente, mas, continua pesado como chumbo por falta de um alargamento consciencial.

Quando falamos sobre o próximo, podemos reconhece-lo de múltiplas formas:

- ele pode ser visto como simples objeto para a satisfação de nossas necessidades;

- o nosso próximo pode ser visto como nosso semelhante, quando nós o consideramos como possuidor de qualidades e características iguais as nossas;

- o nosso semelhante pode ser visto como o nosso PRÓXIMO, quando sentimos que existe uma PESSOA por trás de sua roupagem convencional, sócio-cultural.

As concepções que temos sobre a vida, e suas manifestações são fundamentadas numa visão cartesiana, que coloca o homem como centro do universo, reforçando com isso o individualismo. Fomos ensinados a pensar de forma excludente, e nessa primitiva  maneira de ver o mundo, o outro não existe, a não ser para ser usado, manipulado ou vencido. Em nosso universo só nos cabe a nós.

Podemos trocar: " Você não é deste lugar" pelo "seja bem vindo" - e estaremos na prática exercitando atos de aceitação do outro e de confiança no exercício do amor.

Continuação desse tema na próxima postagem...

Reflexões inspiradas pelas leituras das obras de Humberto Maturama, criador da Biologia do Amor e da Biologia do Conhecimento, e também em "Um Bom Começo", da Pedagoga Adalgisa Balieiro.




Dedico esse poema  a todos os meus amigos,
leitores, seguidores, visitantes , apaixonados,
indiferentes e também aos críticos...




Apesar de...


Apenas uma centelha
do Foco de Luz Universal
que faz revisões de conceitos
sem retórica e parcimônia
nesse espaço virtual

Novo paradigma de afetividade
uma explosão de mundos
inunda em órbita o meu olhar
refaz a antiga teoria mecanicista
retilínea, linear
em ecologia profunda, biologia de amar.

E é, nessa rede que me uno a você
através do pensamento sistêmico
teia que conecta a minha emoção à sua
e a de milhões em meu raio de ação

Cooperação não rima com competição!
Valores periféricos que andam na contramão...

No meu olhar e nos dedos
das minhas mãos
rumo ao meu coração
no cerne da minha vida
tem uma poesia humana
tecnológica mundana
que fala da minha essência
que ama em qualquer circunstância
aos próximos e a você na distãncia
que não te ama “porque”...
mas te ama "apesar de"...


Maria Lucia (Centelha Luminosa)


Comentários

  1. Gostei do texto e já estou querendo ler a continuação. Me fez pensar em amor incondicional que talvez seja o mais profundo de todos. Parabéns pela postagem e também pela beleza do poema, beijão!

    ResponderExcluir
  2. Olá!Bom dia!
    Amiga...aguardarei a continuação do belo texto... fazer considerações, definir amor é algo usual do ser humano. Jovens, idosos, homens e mulheres, de hoje ou do século passado, tentam determinar o que é o Amor e como ele deve ser compreendido. Enquanto todos buscamos entendê-lo, esquecemos de senti-lo..
    ...também gostei e agradeço pelo lindo e encantador poema...com versos raros, e uma finalização surpreendente e impecável...

    Bom final de semana!Muita paz!
    beijos!
    ...fui com saudades...

    ResponderExcluir
  3. Muito lindas e importantes considerações ! Que tenhas um lindo fds! beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Ola Maria,
    Achei muito interessante quando disse logo no início que não definiria o termo por não querer reduzir o seu real significado. Simplesmente brilhante, pois como disse, este fenômeno ou processo, tem múltiplas facetas e só quem sente sabe o grau de profundidade deste que é o sentimento mais nobre da humanidade.

    Adorei e aguardo a continuação viu?



    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto!
    tenha um sabado abençoado
    bjs
    juliana

    ResponderExcluir
  6. Olá minha querida amiga: bela reflexão (ficarei aguardando...), belo poema!
    Hoje comentei no blog da Luciana Santa Rita,um post sobre o Amor.
    Deixo aqui também, um texto que gosto muito, e que na minha opinião exemplifica bem o que é o Amor:

    "Com um curativo em sua mão, na qual havia um profundo corte Antônio, muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso.
    O médico doutor Evandro que o atendia, curioso perguntou o que tinha de tão urgente para fazer.

    O simpático Antônio lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa que estava em um abrigo para idosos, com mal de Alzheimer muito avançado.
    O médico muito preocupado com o atraso do atendimento disse:
    - Então hoje ela ficará muito preocupada com sua demora?
    No que o senhor respondeu:
    - Não, ela já não sabe quem eu sou.
    Há quase cinco anos que não me reconhece mais.
    O médico então questionou:
    - Mas então para quê tanta pressa, e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não o reconhece mais?

    Antônio então deu um sorriso e batendo de leve no ombro do médico respondeu:
    - Ela não sabe quem eu sou... Mas eu sei muito bem quem ela é!
    Doutor Evandro teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava...

    O verdadeiro AMOR, não se resume ao físico, nem ao romântico.

    O verdadeiro AMOR é aceitação de tudo que o outro é...

    De tudo que foi um dia... do que será amanhã... e do que já não é mais!"

    Um grande beijo, que Deus a abençoe.
    Com carinho...Adelisa.
    Um ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante o texto sobre o amor, as várias formas de amor, como nos comportamos diante do próximo, quem são "os próximos" o dinamismo do amor! Gostei bastante, acho que é um tema que cabe bem nesse mês de Junho, para nossa reflexão! Tbém adorei o poema, e fiz outra reflexão, a gente sempre ama "apesar de..." rsrsrs Bjos Amiga!
    Vi as fotos da sua peça, deixei um comentário lá! Bjoooosss

    ResponderExcluir
  8. Apesar de eu "escrevinhar" sobre os (des)amores, aguardo a continuação:)
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Quando surge o amor...A solidão desaparece!
    O sorriso aparece! O carinho se aplica!
    A afeição se explica !A amizade acontece!
    Coração duro enternece! Esse é o poder do amor!
    ♥«....Fantastico FDS– Fantastic Weekend....»♥
    When there is love ... The loneliness disappears!
    The smile appears! The affection applies!
    The affection is explained! Friendship happens!
    Hard heart melts! This is the power of love!

    ResponderExcluir
  10. Maria Lúcia: Muito bons - texto e poema. Parece que todo mundo sabe o que é o amor. Entendo que ele é amplo demais para ser contido em palavras, conceitos. Podemos ter uma leve impressão teórica, mas a amplitude dele só cabe mesmo dentro do sentimento, sentindo-o gradualmente, ao longo da vida. Aguardo a sequência.
    abs
    Gilvan Almeida

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu,

    Tudo bem? O texto sobre o amor apresenta um olhar tão límpido e transparente. Concordo com a sua análise e te falo que conseguir alcançar essa sabedoria e condução do amor, exige um longo caminho que nem sempre é florido. Agradecer a você por tanto carinho nos comentários e nos textos que publica. A cada dia, te admiro mais, minha centelha luminosa.

    Fica com Deus nesse sábado e abrace carinhosamente a Lu e a Rafinha.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  12. Oi amiga, tudo bem?
    Lindo como sempre seu post, muito lindo, amei.
    Um maravilhoso domingo. Beijinhos e saudades.

    ResponderExcluir
  13. Lulu, lindona!
    Tudo bem?
    Menina, que texto lindo e que poema lindo também!

    O amor é tudo que a gente sabe e o que a gente não sabe, que é muito. Tentar explicá-lo é uma das coisas mais difíceis que existem, por isso creio que o teu texto ainda tem mais mérito ainda.
    Parabéns!
    E eu aqui... é que não sei explicar o amor, então... não sei bem mais o que dizer :)

    Lulu, obrigada pelas palavras de incentivo por lá, e saiba que a recíproca é verdadeira, pois me sinto leve quando saio daqui também!

    Beijos e ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  14. Oi Lú
    Aproveitei que o maridão saiu prá pedalar e vim visitar os blogs que tanto gosto, como disse a Cissa, quando visito o seu saio leve, por isso ele foi um dos primeiros.
    Nossa que que texto maravilhoso sobre o amor, isso porque no começo vc disse que não iria dizer muito sobre ele (kkkkk), e o poema, sempre toca minha alma, sempre mesmo, a música, não dá vontade de parar de ouvir. Seu blog é maravilhoso, como vc querida.
    Bjão e um ótimo domingo.

    ResponderExcluir
  15. Olá minha cara, bom dia!
    Apesar de já ter-lhe dito, acho que não custa enfatizar: que seu domingo seja maravilhoso e a sua semana proveitosa, plena de realizações, com muita paz, alegria e felicidade.
    Até mais!

    ResponderExcluir
  16. Lu, de fato, o amor é um sentimento inexplicável. É para ser sentido…

    Mas, confesso, adorei suas considerações…

    Uma grande pena que mesmo sendo um dos sentimentos mais avaliados e discutidos, ainda pouco vivido entre as pessoas.

    Achei super interessante ver o processo contínuo e dinâmico em que o amor se encontra e se manifesta…

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  17. Belas considerações sobre o amor....

    Abçs

    ResponderExcluir
  18. Dissertar sobre o amor é um acto de muita coragem.
    De verdade todos pensamos muito e poucos sabemos o suficiente.
    Muito bom o que nos deixou e, decerto, vamos ter uma continuação ainda melhor.
    Fico expectante no que nos reserva a seguir.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  19. Minha querida

    Um belo texto sobre o amor...um sentimento muito difícil de definir...há tanta forma de amar e felizes dos que encontram o amor verdadeiro.
    Vou esperar a continuação.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  20. O simples perguntar "o que é o amor" já abre uma gama de pensamentos! abraços

    ResponderExcluir
  21. Esse texto é como am AMOR... ele continua...rs
    Saudades de passar por aqui!
    Beijos e LINDO TEXTO! PARABÉNS!
    Theka
    http://comigomesmasim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Ótimo texto.

    Muitas pessoas deixaram de acreditar no amor, porém, é preciso enfrentar os obstáculos da vida sem deixar jamais de acreditar neste sentimento tão sublime.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. A junção das várias formas de amor faz este se tornar real.
    Belo texto!
    Abração.

    ResponderExcluir
  24. Belo texto!
    é sempre bom refletir sobre o amor e suas maneiras né?
    estou esperando a continuacao!!!
    bjao

    http://opinandoemtudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Como estou lendo em ordem decrescente, não percebi que o outro post era a continuação deste e acabei por resumir o que está escrito aqui no comentário "anterior". rs.
    O amor ao próximo e o próximo sermos nós mesmos é algo que deveria ser refletido por muitos, que se desgastam, que se humilham, que se contentam com migalhas porque não possuem a capacidade de amarem a si mesmos e acreditam que o amor é uma busca externa e não interna.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua presença e comentários
são PRECIOSOS pra mim!
Obrigada!

BJossss